Água na Boca - Dicas culinárias e receitas deliciosas

Siga-nos e compartilhe

Por 60 dias este homem comeu 2 colheres de sopa de óleo de coco. E então, isso aconteceu com o cérebro dele.

Tipo:


A Dra. Mary Newport tem causado uma certa empolgação com esta nova ideia: óleo de coco pode ser um super alimento para o cérebro. Ela acredita que o óleo seja uma arma secreta que ajuda a prevenir o mal de Alzheimer.Se ela estiver certa, isso pode revolucionar os tratamentos para a doença.

A história

A Dra. Newport tem um relacionamento muito pessoal com o Alzheimer. O marido dela, Steve, foi diagnosticado com a doença há alguns anos. Ela descreveu como os sintomas dele foram ficando mais fortes e notáveis. Ela compartilhou algumas de suas experiências dentro do contexto de um estudo clínico:”Em alguns dias, era como se Steve estivesse preso em uma neblina”, diz ela. “Ele não conseguia encontrar os talheres certos ou esquecia de abrir a geladeira. Se eu estava esperando uma ligação e perguntasse a ele, ele diria que ninguém havia ligado. E dois dias depois, ele lembraria de repente.” Foi duro para ele e para o relacionamento deles.

Steve começou a tomar medicamentos para desacelerar a deterioração do cérebro, mas os efeitos colaterais eram terríveis. Ele se sentia deprimido, perdeu muito peso, e não conseguia nem fazer cálculos simples. As tarefas mais simples pareciam impossíveis para ele, mesmo o seu corpo estando em perfeita forma. Ele poderia passar o dia inteiro trabalhando no jardim, mas uma tristeza profunda tomava conta dele.

Mary relatou que a memória recente de seu marido estava consideravelmente pior, mas que ainda estava armazenando informações. Ela sabia disso porque Steve, às vezes, mencionava coisas específicas dias depois.

Esperança

O casal estava perdendo as esperanças, quando Mary leu um estudo que sugeria que um certo Triglicerídeo (um tipo de gordura) poderia ser usado, não apenas para retardar o Alzheimer, como também para preveni-lo. Mudar para uma dieta com poucos carboidratos pode liberar aminoácidos cetogênicos, que influenciam o metabolismo da pessoa e muda a utilização de energia do corpo. Mary disse:”Uma dieta cetogênica pode ajudar o cérebro, seele não tiver recebido oxigênio por um longo tempo. Resultados positivos também aparecem em pessoas que sofrem de epilepsia e mal de Parkinson.” Como o Alzheimer retarda a habilidade do cérebro de usar os carboidratos, a médica esperava que o cérebro também pudesse usar o aminoácidos, reduzindo os sintomas da doença. Ele decidiu fazer uma tentativa.

Resultados

Mary começou a experimentar com o óleo de coco. Todo dia, de manhã e de tarde, ela dava a Steve duas colheres de sopa do óleo.

Apenas 60 dias depois eles notaram a diferença. Ele se sentiu com mais clareza de pensamento, estava fazendo piadas e estava extremamente falante. Um ano depois, ele parecia uma pessoa completamente diferente. De vez em quando ele esquece uma palavra, mas ele começou a reconhecer novamente rostos que antes costumava esquecer, começou a conversar com estranhos e podia se concentrar em tarefas, coisas que eram desafiadoras um ano antes. Ainda existem muitos testes a serem realizados, mas Mary está muito feliz. “Agora nós apenas estamos felizes com as melhoras. E se o óleo de coco pode realmente retardar o Alzheimer, vale a pena.”, comenta.

Que incrível! Tomara que isso possa ser testado em uma escala maior e, quem sabe, talvez haja uma medida preventiva sólida em um futuro próximo.



Ingredientes

Avalie esta receita
Avaliação média

votos, média: de 5

Compartilhar via WhatsApp

Deixe seu comentário