Água na Boca - Dicas culinárias e receitas deliciosas

Siga-nos e compartilhe

Esposa de Robin Williams revela a verdadeira causa da morte do ator

Tipo:


O ator Robin Williams – conhecido por seus papéis em filmes como Patch Adams: o amor é contagioso, Gênio Indomável e Sociedade dos Poetas Mortos – suicidou-se no dia 11 de agosto de 2014, no estado da Califórnia, nos EUA. Na época, a assessoria declarou que o motivo que o levou a tirar a própria vida foi um forte quadro depressivo, com o qual ele convivia há algum tempo. Mas recentemente, a viúva de Robin, Susan Williams, desmentiu a alegação e revelou qual foi a verdadeira causa da morte do marido. Veja a seguir.

Doença de Robin Williams

Em entrevista à revista People, Susan Williams, a viúva do ator Robin Williams, revelou qual foi a verdadeira causa da morte do ator. Até então, a informação oficial dizia que o suicídio do ator, ocorrido em 2014, seria decorrente de um quadro de depressão.

Em sua primeira declaração após a morte do marido, Susan disse que não foi a depressão que matou Robin, mas sim um tipo de demência chamado demência com corpos de Lewy (DCL). Ainda segundo Susan, a depressão é apenas um “pequeno sintoma” dentre os mais de 50 causados pela doença.

Ela espera que o caso de Robin ajude a alertar outras pessoas sobre esse tipo de demência. “Nós não sabíamos do que se tratava. Ele não sabia”, disse.

Em entrevista ao programa “Good Morning America”, da rede ABC News, a viúva disse que Robin convivia com uma alternância incessante de sintomas desde o outono de 2013.

Demência com corpos de Lewy: o que é?

A DCL é um dos tipos mais comuns de demência. Ela recebe esse nome porque é uma das doenças que têm os marcadores do tipo corpos de Lewy presentes nos neurônios.

Por apresentar sintomas variados, como alterações cognitivas, problemas de sono, alucinações visuais e dificuldade de movimentação, ela é facilmente confundida com doença de Alzheimer, Parkinson e até esquizofrenia. Isso faz com que demore anos – e muitas consultas e exames – até que seja feito o diagnóstico correto.

A doença é progressiva e não existe cura. O tratamento ajuda a diminuir as alucinações e manter a movimentação do paciente por mais tempo, além de auxiliar o sono e aliviar demais sintomas que possam surgir. A evolução desse tipo de demência costuma ser mais rápida que de outras doenças do tipo, como o Alzheimer, por exemplo. Com o tempo, os sintomas tendem a ser cada vez mais incapacitantes.



Ingredientes

Avalie esta receita
Avaliação média

votos, média: de 5

Compartilhar via WhatsApp

Deixe seu comentário