Água na Boca - Dicas culinárias e receitas deliciosas

Siga-nos e compartilhe

4 segredos japoneses para ficar em forma

Tipo:

preview-650x341-98-1465045023

Quando eu vim para Tóquio, pesava 20 quilos a mais do que meu peso ideal. Conversei com uma vizinha japonesa sobre minhas preocupações com esse assunto, e ela me disse: «Tome um banho quente, isso vai ajudar». «Um banho quente? O que isso tem a ver com perda de peso?». Definitivamente, ela sabia algo que eu não sabia. Ou estava louca.
Fazia dietas sonhando em alcançar a perfeição, e acreditava seriamente que os resultados não eram os esperados porque eu não esforçava o suficiente. Me dedicava a treinos cansativos durante 2 horas por dia. Tentei parar de comer doces, mas todas as vezes que cansava de fazer esportes e perdia motivação, voltava a comer bolos e tortas. Porém, a mudança de atitude com meu corpo me ajudou a perder 30 quilos sem esforço algum. Foi um ’efeito colateral’ do meu novo estilo de vida, e não o objetivo.
Acredito que prestamos muita atenção às proteínas, carboidratos e calorias, esquecendo do fundamental: nosso corpo, naturalmente, procura ser saudável. Nós só precisamos parar para ouvi-lo. Só é impossível viver correndo atrás de resultados olímpicos.
Sete anos se passaram após aquela conversa com minha vizinha. Hoje, ajudo as pessoas a serem saudáveis usando os conhecimentos da ciência ocidental e da sabedoria oriental. Os quatro pontos que você lerá a seguir são fundamentais para aqueles que querem exibir uma bela silhueta e se sentir bem ao mesmo tempo.

1. Se você treinar como um lutador de sumô, irá parecer um deles.

Quando entendi isso, respirei mais tranquilamente: eu me esforçava demais nos treinos. Os lutadores de sumô pulam o café da manhã, substituindo-o por treinos de força. Depois, comem grandes quantidades no almoço e tiram uma soneca. Quando acordam, repetem o ciclo.
Eu malhava feito um louco. E agia como um verdadeiro predador. Não importava se a comida era saudável, a quantidade que eu consumia era sempre grande. Inconscientemente, comia mais do que precisava. Depois de um treino puxado, e de uma refeição deliciosa, só queria dormir. O resultado disso é que eu malhava os músculos que cresciam sob uma camada de gordura.
Outra desvantagem dos treinos excessivos é a hiperventilação. Uma respiração tranquila envia ao corpo a mensagem de que está tudo bem, então o organismo se concentra em consumir gordura para obter energia. Porém, quando o corpo está estressado, a respiração fica agitada e o cérebro envia sinais de que precisa receber uma grande dose de energia, presente sobretudo no açúcar dos doces. Sabe aqueles momentos após o treino, quando você sente tanta vontade de comer que seria capaz de comer uma torta inteira? Isso quer dizer que você exagerou na malhação.

2. Calor é vida.

O conceito da energia dos alimentos é muito popular entre os especialistas ocidentais. Ele se baseia no princípio ocidental segundo o qual calor é vida. A comida é a energia que consumimos para viver. Os alimentos produzidos em épocas de calor ajudam o corpo a se adaptar a esse clima, ou seja, a resfriar o organismo.
Muitos nutricionistas aconselham o consumo de frutas e verduras frescas, e de ervas aromáticas. Isso é obviamente saudável, mas uma grande quantidade de alimentos crus resfria o corpo, o que gera mais fome, pois o organismo tende a se esquentar. Ou seja, quanto mais você come, mais quer comer.
Precisamos consumir legumes, mas lembre-se que eles podem ser fritos, cozidos ou assados. Talvez percam uma parte de suas vitaminas, mas por outro lado irão ganhar calor e, consequentemente, gerar mais energia para o seu corpo.

3. Beber nas refeições não é recomendável.

No Japão, as pessoas nunca bebem enquanto comem: em primeiro lugar porque as bebidas resfriam o corpo. Em segundo lugar porque elas influenciam negativamente a digestão. Cientistas explicam: a água neutraliza o ácido produzido pelo estômago para a digestão. E nosso organismo acaba gastando mais energia nesse processo, fazendo com que você volte a sentir fome dentro de pouco tempo.
Você pode hidratar seu corpo através da própria comida. Por exemplo, os japoneses adoram certos tipos de caldos mornos. Na falta deles, pelo menos não consuma o que o lhe desidrata, como café e cigarro.

4. Banho quente prolonga a vida.

Você já percebeu o quanto seu corpo fica descansado depois de um banho quente? Os músculos relaxam e o sangue começa a circular mais rapidamente. Se adquirir o hábito de tomar um banho bem quente mais de 2 vezes por mês, irá purificar a pele e melhorar a digestão.
Os japoneses enchem as banheiras até o nível do coração. A água num nível mais alto pode aumentar a pressão arterial, que não é algo saudável. A temperatura da água também é importante: deve ficar entre 38º e 40°, pois esta é a temperatura ideal para melhorar a circulação sanguínea.
Estamos acostumados com a ideia segundo a qual perder peso significa lidar com calorias, por isso os conselhos acima podem parecer estranhos para algumas pessoas. Porém, veja o exemplo do Japão: uma nação que conserva a saúde até a velhice. Talvez não devamos procurar novos caminhos, e sim dar ouvidos às pessoas que sabem como viver em harmonia. Você não acha?
Por fim, não custa lembrar: antes de começar uma dieta ou treinamento, procure um profissional especializado.




O renomado Dr. Rocha tem um vídeo bem INCRIVEL sobre emagrecimento, se tiver alguns minutos assista... Clique AQUI PARA ASSISTIR O VÍDEO DO DR. ROCHA

Ingredientes

Avalie esta receita
Avaliação média

votos, média: de 5

Compartilhar via WhatsApp

Deixe seu comentário